Matrículas Abertas FALE CONOSCO Regimento Escolar CALENDÁRIO ESCOLAR 2013 MANUAL DO ALUNO
PROFESSORES DISCIPLINA EMENTA
BOLETIM Online Sala dos Professores Estação Curiosidade Questões para ENEM DIREÇÃO COORDENAÇÃO DO ENSINO TÉCNICO ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA CURSINHO AVANCE Facebook do Hilde MUSEU VIRTUAL Plano de Ação Gestão 2012 a 2014 Recursos da Escola Olhando para o céu BRASIL ESCOLA Índices Econômicos

Quantidade de Páginas visitadas

COMUNICADO À COMUNIDADE.
Sobre o caos instaurado nas Escolas Públicas:



Carta às mães, pais, responsáveis e à comunidade paranaense.

EDUCADORES(AS) DENUNCIAM CAOS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DO PARANÁ

Vimos a público manifestar repúdio ao desrespeito com que o Governador Beto Richa(PSDB) está tratando a educação pública do Paraná. Resultado: o mau uso do dinheiro público e a desorganização na gestão do Estado instalaram o caos nas escolas estaduais.

As escolas iniciam o ano letivo com dívidas, pois o Estado não repassou dinheiro do Fundo Rotativo (repasses de recursos às escolas para despesas com materiais de limpeza e diversos). As escolas estão sem merenda, pois a mesma ainda não foi entregue.

Também há falta de professores, pois não há previsão de contratação de professores/as temporários antes do início das aulas. Quanto aos funcionários das escolas, o Governo demitiu cerca de 3.000 quando o número que havia já não era suficiente. As escolas não terão como funcionar!

Os/as estudantes, no dia 09 de fevereiro, deveriam ser recebidos na escola com toda a estrutura necessária. Infelizmente não será esta a realidade. Encontrarão professores/as e funcionários/as desmotivados/as, pois não receberam valores que são de direito, como auxílio alimentação e 1/3 de férias.

Além disso, o Governo não pagou a rescisão dos contratos de 29 mil professores/as contratados temporariamente (PSS) e tenta aprovar na Assembleia Legislativa retirada de direitos conquistados ao longo dos últimos anos, como o PDE (mestrado para capacitação de professores/as).

Dívidas do Governo com a Educação:

- 29 mil professores/as sem pagamento: aproximadamente R$ 130 milhões.

- Salários/valores em atraso de 2014: aproximadamente R$ 90 milhões.

- 1/3 de férias: aproximadamente: R$ 150 milhões.

É possível começar as aulas com tanta desorganização? É possível algum profissional, SEM SALÁRIO, trabalhar com carinho e dedicação como a educação necessita?

PACOTAÇO E DESRESPEITO atinge toda a população: No final de 2014 o Governador Beto Richa enviou aos(às) deputados(as) vários projetos de lei que aumentaram os impostos para a maioria da população. Aumentou em 40% o IPVA e a tarifa de ICMS de mais de 95 mil produtos.

Repudiamos todo o desrespeito com que o governador Beto Richa e sua equipe de governo têm tratado a educação pública do nosso Estado. Chamamos todos e todas a lutar conosco em defesa da qualidade da educação pública para nossos/as estudantes. Pedimos o apoio a toda sociedade para que os/as trabalhadores/as da educação possam ter condições dignas e humanizadas de trabalho.

http://www.appsindicato.org.br/Include/Paginas/noticia.aspx?id=10988



“ INICIO DAS AULAS”

Aguardamos a assembleia que será realizada no dia 07/02/15 (Sábado), em Guarapuava-Pr. sobre a instauração de Greve geral, conforme nota da APP- Sindicato dos professores abaixo:

GREVE GERAL! BARRAR O DESMONTE DA ESCOLA PÚBLICA NO PARANÁ

Ele foi eleito Governador, não Imperador!

Só a mobilização imediata com uma GREVE GERAL por tempo indeterminado poderá barrar a sanha destrutiva do governo Beto Richa(PSDB) sobre a educação do Paraná!

Os(as) Trabalhadores(as) em Educação Pública do Paraná, através da APP-Sindicato, vem há décadas lutando intensamente pela ampliação de seus direitos, por melhores condições de trabalho e consequentemente por uma escola pública de mais qualidade. Juntamente com colegas educadores(as) de todo o Brasil reunidos na CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, travamos uma luta por um sistema público de educação e por valorização dos profissionais da Educação que remonta aos tempos do Brasil imperial.

Assim pensando, lutando e resistindo, avançamos coletivamente nos últimos anos em conquistas importantíssimas como: Planos de carreira de Professores(as) e Funcionários(as), equiparação salarial do magistério – não faz tempo os professores recebiam salários muito mais baixos que os demais servidores aos quais também é exigido nível superior para ingresso no mundo do trabalho público paranaense – 1/3 de hora atividade para professores(as) – tempo destinado ao trabalho docente fora da sala de aula - eleição para diretores(as) de escolas, além de manter uma luta permanente pelos direitos de uma aposentadoria digna depois de uma vida laboral dedicada aos fazeres do ensino-aprendizagem das gerações.

A reeleição em primeiro turno do governador do estado promoveu uma verdadeira guinada no comportamento de um político que afirmou com todas as letras que não mediria esforços para a valorização da escola pública e de seus Educadores. Em debate com os demais candidatos na APP-Sindicato no dia 19 de agosto, durante a campanha eleitoral, assumiu compromissos com uma pauta extensa que estava até agora em processos de debates, em grupos de trabalho, construção esta que vai por terra com as ultimas medidas adotadas.

Foram inúmero ataques até agora:

- Cancelamento do processo de eleição dos diretores e diretoras das escolas – o governador juntamente com um grupo de deputados estadual, desfez a própria resolução que havia desencadeado todo o processo. As escolas já tinham realizado assembleias, eleito comissões eleitorais e chapas já haviam se inscrito para o pleito marcado para o final de novembro/2014.

- Tarifaço final de ano – Além de penalizar toda a população paranaense com aumentos do IPVA, e a tarifa de ICMS de mais de 95 mil produtos, atacou a previdência pública, taxando em 11% o salário dos aposentados do estado bem como criou o fundo complementar para os futuros servidores públicos, estes fundos tem sido criticados mundialmente especialmente pela insegurança que geram quanto ao futuro pois quebra princípios caros na cultura previdenciária brasileira como o da solidariedade entre ativos e inativos.

- Impedimento de matrículas para 6º anos do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio em muitas escolas de pequeno porte, especialmente as escolas do campo, em curto período em escolas estarão fechadas para sempre, novamente sem ouvir a comunidade escolar nem os diretores.

- Decretos da posse – Não bastasse os mais de 20 projetos de lei do pacotaço, em plena data da posse o governador anuncia um conjunto de decretos que promovem uma não assumida reforma de estado.

Outras dívidas com a Educação:

- 29 mil professores(as) PSS – contratados temporários – com atrasos de pagamento, sem acertos da rescisão, demitidos sumariamente.

- 10 mil funcionários(as) de escola afastados com a promessa de corte de 30 % deste efetivo – as escolas do Paraná carecem de mais funcionários(as) para atender adequadamente os(as) estudantes.

- Não pagamento (conforme o governo anunciara) de 1/3 das férias – cerca de R$ 150 milhões.

- Não pagamento de promoções e progressões de professores(as) e funcionários(as) durante todo o ano de 2014, direito esse garantido pelos Planos de Carreira dos dois segmentos. Essa dívida já soma 90 milhões.

- Atraso sistemático no repasse de parcelas do fundo rotativo – esse recurso são utilizados para a manutenção e pequenos reparos nas escolas.

- atrasos do pagamento de convênios com escolas, entidades da educação especial, escolas itinerantes da reforma agrária.

- cancelamento da distribuição de aulas feitas em dezembro.

- Retomada de portaria antiga sobre o porte de escola – portaria esta que reduz horas para direção das escolas, número de pedagogos e pedagogas, funcionários(as) em número insuficiente para manter as escolas em condições de atender adequadamente os(as) estudantes.

- Superlotação de alunos(as) em salas de aulas.

Não bastasse todo o DESMONTE que denunciávamos como o caos instalado na educação do Paraná, veio mais um pacote de maldades divulgado nesta quarta-feira pela ALEP – Assembleia Legislativa do Paraná!

As mensagens de lei 01/2015 e 02/2015, enviadas pelo governador Beto Richa, se aprovadas pelos deputados(as), promoverão um tão retrocesso nas escolas que não serão recuperados senão em longo prazo. Gerações serão penalizadas com a precarização da escola pública.

Essas mensagens promovem um ataque com retirada de direitos de todos os segmentos dos Trabalhadores(as) em Educação, inclusive os(as) aposentados(as).

GASTOS DO ESTADO – Temos avaliado que a crise financeira do Paraná, passa principalmente pela péssima gestão desta área no governo Richa. Retrocessos na transparência tornam cada vez mais difícil estabelecer uma avaliação adequada e mais precisa. Porém ações governamentais apontam a opção clara deste governo neoliberal, promover estado mínimo com enriquecimento da parcela encastelada no poder: mais de R$ 400 milhões, em publicidade e propaganda, aumento de mais de 4.000% em processamento de dados, rompendo a política de software livre; aumento de 295% para salários dos cargos comissionados; antecipação de receitas extraordinárias que farão faltas futuramente; renegociou precatórios.

Assim sendo, com o agravamento da crise generalizada no interior das escolas paranaenses, iremos para a assembleia estadual no sábado(07), em Guarapuava, num consenso preliminar de que não há mais um dia sem iniciar a greve geral.

O esforço e a pauta central da greve será exatamente lutar para derrotar este pacotaço de desmonte geral dos direitos dos(as) TRABALHADORES(AS) EM EDUCAÇÃO bem como barrar o DESMONTE ORGANIZATIVO E ADMINISTRATIVO DAS ESCOLAS.

Hermes Silva Leão, professor de Educação Física e Pedagogo, é Presidente da APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná

http://www.appsindicato.org.br/Include/Paginas/artigo.aspx?id=10987
INICIO AULAS 2015

INICIO DAS AULAS EM 09/02/2015.


SEJAM TODOS BEM VINDOS!






MATRÍCULAS ABERTAS




Clique no Link Abaixo para preencher o formulário de Inscrição:


https://docs.google.com/forms/d/1uikINhrgch989YX_aUiyAcBmfXLxUJrm2NWPmeF6K4w/viewform?c=0&w=1

ESTAGIO NO GOVERNO DO PARANÁ



COMO SE CANDIDATAR A ESTÁGIO PARA O SETOR PRIVADO:


Neste site, vá no menu lateral esquerdo clique em ESTÁGIOS, depois clique em Estágios Setor Privado Orientações e siga as informações. Ali você encontrará uma relação de instituições intermediárias de Estágios entre escolas e empresas. Verifique as oportunidades em cada uma, com quais empresas têm parcerias e efetue seu cadastro. As orientações de documentação e procedimentos para a efetivação do estágio serão fornecidas pelas instituições. 

COMO SE CANDIDATAR A ESTÁGIO NO GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ:

Para ser efetivado como estagiário no Governo do Estado, é preciso:

1) ser estudante regularmente matriculado no Ensino Médio, Técnico ou Superior, na Educação Especial ou dos anos finais do ensino fundamental na modalidade profissional da educação de jovens e adultos.

2) ter 16 anos de idade completos ou mais

3) apresentar a documentação necessária e ter (ou abrir) conta corrente no Banco do Brasil

4) somente iniciar o estágio quando todas as vias do Termo de compromisso emitido pela Central de Estágio, devidamente assinadas forem entregues ao RH do órgão em que fará estágio, mesmo que alguém diga que você já pode começar. 

COMO FAZER SEU CADASTRO 

Neste site, vá no menu lateral esquerdo clique em ESTÁGIOS, depois clique em Cadastro do Estudante e realize seu cadastro.

- Ao fazer o seu cadastro cuide para que seu e-mail seja escrito com letras minúsculas e seu RG esteja correto.

- Se esquecer da senha clique em "esqueci minha senha", para receber uma nova senha em seu e-mail cadastrado.

COMO SE CANDIDATAR NAS VAGAS DE ESTÁGIO

Feito seu cadastro, volte em Ofertas de Estágio:

Abrirá uma tela, onde você deve selecionar os itens de seu interesse e clicar em Prosseguir. Ao clicar no nome do curso, você entrará nos detalhes da vaga, onde aparecerão o horário, telefone para contato, etc. No final desta página, existe um campo onde é possível se candidatar na vaga, usando apenas seu CPF e senha gerada na hora do cadastro. Lembrando que as vagas de Nível Técnico estão dentro do Nível Ensino Médio - Categoria Médio Profissionalizante. Fique atento no que diz o quadro observações, para aguardar ser chamado pelo órgão responsável pela oferta ou você mesmo entrar em contato para agendar uma entrevista.

Mantenha sempre seu cadastro atualizado, terá mais chance para conseguir estágio!






Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito